Fórum Económico Mundial (Maria João Ramos)

O Fórum Económico Mundial começou esta quarta-feira na Suíça. Este Fórum, criado em 1971, realiza-se anualmente em Davos e reúne líderes mundiais para discutirem temas de interesse global.

the-village-of-davos-is-seen-prior-to-th-108350549-569bc6c484edc

No Fórum Económico Mundial comparecem normalmente figuras de destaque. Este ano, por exemplo, conta com Leonardo DiCaprio, David Cameron ou Christine Lagarde.

O evento tem a participação de mais de 2500 especialistas das mais diversas áreas, 40 chefes de estado e de governo e presidentes de grandes empresas. Questões ligadas à desaceleração das economias emergentes, às alterações climáticas ou à crise do preço do petróleo estão em cima da mesa.

O tema central em 2016 é a quarta revolução industrial e a importância da tecnologia. A internet e os dados são reconhecidos por facilitarem a produção mas também por agravarem as desigualdades sociais no mundo. Um estudo do Fórum Económico Mundial prevê que esta revolução industrial irá provocar muitas alterações nos modelos de negócio e que irá levar à perda de 5 milhões de empregos nos próximos cinco anos alargando o fosso, cada vez maior, entre os muito ricos e os muito pobres.

Este evento termina a 23 de Janeiro e acontece numa altura em que a crise dos refugiados e as ameaças terroristas se juntam às dificuldades que a economia mundial enfrenta para voltar a crescer.

Entre discursos e apresentações, no primeiro dia do Fórum, destaca-se um estudo da fundação da velejadora britânica Ellen MacArthur, em parceria com a consultora McKinsey, que revela que em 2050 os oceanos vão ter mais plástico do que peixes, reforçando a ideia de que é necessária uma reformulação total das embalagens e dos plásticos em geral, bem como a procura de alternativas ao petróleo.

“O sistema atual de produção, de utilização e de abandono de plásticos tem efeitos negativos significativos: entre 80 mil milhões a 120 mil milhões de dólares (entre 73 mil milhões de euros a 109 mil milhões de euros) em embalagens de plásticos são perdidas anualmente. A par do custo financeiro, se nada mudar, os oceanos terão mais plásticos do que peixes (em peso) até 2050”, indicou um comunicado do fórum.

ng5713520

 

Maria João Ramos

 

Fonte da imagens:

http://www.cityam.com/232514/davos-2016-whos-who-at-the-world-economic-forum-and-whos-notably-absent-from-leonardo-dicaprio-to-travis-kalanick-and-george-osborne

REUTERS/ERIK DE CASTRO