Mercado de carbono (resumo semanal – 28/09/2020)

O plano climático da UE poderá fazer com que o preço do carbono duplique nesta década
De acordo com a Comissão Europeia, os custos do carbono para as empresas europeias poderão duplicar nesta década no âmbito dos planos da União Europeia em obter reduções de emissões mais acentuadas até 2030.
A Comissão afirmou que os seus principais cenários políticos para cumprir o novo objetivo climático poderão resultar num preço de carbono na Europa de 32 a 44 euros por tonelada em 2030. De acordo com os cálculos dos analistas, estes preços poderão ter o limite máximo de 59 euros até 2030, considerando uma taxa de inflação de 2% entre 2015 e 2030. Este preço será aproximadamente o dobro do obtido na semana de 18 de setembro, com um máximo histórico de 30 euros por tonelada.
Alguns países alertaram que os custos mais elevados do carbono poderão sobrecarregar as empresas que estão a passar dificuldades durante a pandemia da COVID-19. A UE afirma que as receitas adicionais provenientes dos preços podem ajudar a financiar a recuperação económica dos países.

ONU e governo britânico organizam cimeira climática
As Nações Unidas e a Grã-Bretanha acolherão, no dia 12 de dezembro, uma cimeira climática online. Esta será realizada no 5º aniversário do Acordo de Paris, numa última tentativa de fazer com que os países cumpram o prazo para atualizarem as suas metas de redução de emissões.
O objetivo é estimular os esforços globais para combater as alterações climáticas, depois da cimeira climática da ONU em Glasgow, este ano, ter sido adiada devido à pandemia do coronavírus.
António Guterres, Secretário-Geral da ONU, disse que a cimeira online de 12 de dezembro será “um momento importante para continuar a aumentar a ambição climática”. António Guterres apelou também que os grandes emissores como a China e a União Europeia – que anunciaram metas climáticas mais ambiciosas este mês – deem seguimento a esses compromissos com planos e políticas concretas.
O anúncio surpresa do Presidente chinês Xi Jinping, a semana passada na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, de que a China se comprometerá a atingir a neutralidade de carbono antes de 2060 poderá também impulsionar a ação de outros países antes de dezembro.
A cimeira terá lugar um dia depois dos líderes da UE se reunirem na esperança de conseguir um acordo sobre uma meta climática mais ambiciosa para 2030 para os seus 27 países.

__________________________________________________________________________________________________________________

O mercado fechou a valorizar, estando a cotar em torno dos 27,63€/t, uma valorização de 5,66% relativamente ao valor de abertura do mercado.

Na sexta-feira passada o mercado fechou a cotar 26,15€/t, uma desvalorização de 6,5% relativamente ao valor da cotação de fecho da semana anterior.

 

Consulte os valores diários aqui.