Mercado de carbono (resumo semanal – 30/03/2020)

O mercado de carbono europeu
Depois de ter afundado para 15,23€ no passado dia 18 de março, o mercado de carbono tem vindo lentamente a recuperar, embora os preços das licenças continuem a registar valores baixos comparativamente com os primeiros dois meses do ano. Como já se sabe, esta tendência tem-se vindo a verificar desde que o coronavírus fez parar muitas indústrias da Europa, com a queda acentuada e gradual da produção industrial e consequentemente redução da procura por eletricidade. Durante o próximo mês de abril as instalações sujeitas ao CELE deverão entregar as suas licenças.

O pós-pandemia
Os 27 líderes europeus realizaram a semana passada uma videoconferência para fazer um ponto de situação da crise que a Europa está a viver. O comunicado final da reunião refere que a Europa deve preparar as medidas necessárias para que a sociedade e a economia regressem à normalidade, e que as medidas a adotar devem integrar a transição verde e a transformação digital. De notar, que as instituições financeiras europeias e os Governos estão a sofrer algumas pressões de empresas e ONGs para que a transição verde seja englobada nos pacotes de estímulos económicos a aplicar no período pós-crise.

Neste sentido, também o Secretário-Geral das Nações Unidas António Guterres alertou que existe uma responsabilidade de se recuperar melhor desta crise do que da crise financeira de 2008, recordando que devemos manter as promessas feitas ao planeta e às pessoas no quadro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Poluição atmosférica na Europa
Segundo a Agência Europeia do Ambiente, verificou-se que as concentrações de poluentes no ar tiveram fortes quedas devido à redução do tráfego e outras atividades, havendo cidades que registaram uma queda de cerca de 50% na concentração de poluentes. Em Lisboa, por exemplo, os níveis de NO2 caíram cerca de 40% da segunda para a terceira semana do mês de março.

Consulte os valores diários aqui.