O futuro é saúde, é azul, é juventude, é inteligente, é mobilidade! Global Opportunity Report (Maria João Ramos)

O Global Opportunity Report é o produto da colaboração entre a DNV GL, a United Nations Global Compact e o Monday Morning Global Institute. Como parceiros por trás desta iniciativa partilham uma visão de um mundo mais seguro e mais sustentável e o desejo de inspirar a colaboração e a ação no sentido de torná-lo uma realidade.

O projeto é inclusivo por natureza. Para que as oportunidades atinjam todo o seu potencial, muitos stakeholders têm de se envolver e trabalhar em conjunto. O Relatório é o resultado de um processo que durou quase um ano com o objetivo de mostrar como os riscos podem ser transformados em oportunidades. Identificar os riscos foi o ponto de partida para selecionar um conjunto de desafios globais de sustentabilidade.

Mas nas conclusões do relatório há um ponto comum a todos os riscos e oportunidades que é o assumir de que as metas globais são oportunidades de ouro. As empresas conseguem visualizar em todo o mundo oportunidades nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. São eles que vão conduzir os novos mercados nos próximos 15 anos.

O relatório transforma riscos globais em oportunidades para a ação com o objetivo de inspirar uma mudança de mentalidade. São estas as cinco tendências que emergem do Relatório deste ano.

  1. Resistência à Medicina “Life-Saving”

A resistência aos antibióticos está em ascensão. É hora de mudar a forma como utilizamos e se desenvolvem antibióticos se este medicamento milagre vai durar nos próximos anos. Esta é a oportunidade para reduzir significativamente o uso excessivo de antibióticos através da inovação nos cuidados de saúde e na agricultura, bem como uma oportunidade de trazer novos antibióticos para o mercado através de um novo modelo de negócios colaborativo. As oportunidades são promissoras e podem levar a mudanças de paradigmas no diagnóstico, tratamento e produção de carne.

A agricultura é o maior utilizador de antibióticos no mundo, mas os clientes cada vez mais procuram carne sem antibióticos. A crescente procura dos consumidores por alimentos livres de antibióticos, combinada com a pressão política para reduzir o uso dos mesmos, representa um desafio e uma oportunidade únicas para toda a cadeia de valor da carne.

  1. O futuro é azul

Proteger os ecossistemas marinhos, esta fonte de prosperidade, é vital para as sociedades em todo o mundo e abre novas oportunidades para revolucionar a medicina e para proteger a humanidade contra riscos, tais como as alterações climáticas. Os oceanos são a última fronteira desconhecida e as oportunidades identificadas este ano são exemplos de como usar esta nova economia azul ao mesmo tempo que protegemos a sua biodiversidade.

A economia circular é uma oportunidade para o ecodesign em roupa, móveis e muitos outros produtos feitos de plástico retirado do oceano, mas essa oportunidade é também acentuada porque consegue travar que muitos materiais cheguem ou atinjam os oceanos. Não é só o futuro das roupas que está na economia azul, mas também potencialmente o da medicina e o das dietas. O Relatório sugere que especialmente os líderes chineses estão interessados ​​em perseguir as oportunidades da economia azul e que acreditam que a China tem a capacidade de seguir esses novos caminhos de desenvolvimento.

  1. A Juventude é uma oportunidade

Davos deixou claro que estamos perante uma mudança de paradigma no que constitui o emprego e trabalho no futuro face à quarta revolução industrial. O Relatório apresenta três oportunidades para os decisores políticos, as empresas e os jovens explorarem em conjunto no que diz respeito a reduzir o desemprego na classe jovem. Uma das oportunidades mostra que a tecnologia digital pode ser uma ferramenta para ajudar a criar postos de trabalho para alguns jovens embora também seja o motivo de muitos ficarem sem trabalho. Todas as oportunidades exigem uma mudança de mentalidade no ensino e na aprendizagem ao longo da vida.

  1. Alimentos inteligentes

Fome e desperdício de alimentos definem o sistema global alimentar de hoje. Mas as oportunidades para mudar a forma como se produz, distribui e utiliza alimentos já estão entre nós e a maioria são opções já testadas, que inovam e trazem mudança. A tecnologia é um condutor em todas as oportunidades para inovar nas dietas alimentares, porque tornam a agricultura mais inteligente e fazem a comida durar mais tempo. A oportunidade que aparece no topo da lista é a agricultura inteligente, que os líderes de todo o mundo acreditam trazer grandes benefícios para a sociedade e estão ainda confiantes na capacidade de esta opção trazer a mudança tão necessária. A oportunidade de tornar a agricultura inteligente pode aumentar a produtividade e os lucros e reduzir o uso de fertilizantes e de água que é tão preciosa.

O telefone é a nova ferramenta agrícola. O rápido crescimento do acesso aos serviços de comunicação, incluindo para os pequenos proprietários, oferece uma diversidade de benefícios para os agricultores. Melhores dados meteorológicos e sobre o clima ajudarão no planeamento das culturas e na escolha da melhor altura para plantar e para colher. Além disso, com um telefone na mão, mesmo os pequenos agricultores se podem conectar a novos clientes, antes inacessíveis, dando-lhes maior poder no mercado.

Esta oportunidade de agricultura inteligente pode beneficiar o desenvolvimento de uma variedade de diferentes tipos de tecnologias e se for bem sucedida, tem o potencial de aumentar a produção agrícola, melhorar a competitividade dos pequenos agricultores e proporcionar produtos mais frescos a uma população urbana crescente.

  1. Do transporte à mobilidade

As mentalidades estão a começar a mudar, ter um bem e partilhá-lo é um novo conceito. Os veículos são o símbolo do antigo ideal de propriedade, mas as pessoas estão cada vez mais a exigir a opção de mobilidade mais eficiente e menos poluente. As vendas de carros movidos a energia limpa armazenada em baterias está a começar a arrancar e as oportunidades para transportes menos poluentes estão já disponíveis.

Ir do ponto A para o ponto B deve ser fácil e eficiente. A maioria dos passeios e das viagens não permitem relaxar ou aproveitar o passeio porque a rápida urbanização está a dificultar a livre circulação de pessoas e bens, as estradas estão congestionadas e reduzem a mobilidade e quando os carros estão em marcha lenta no trânsito, a poluição do ar aumenta. Mas um sistema flexível, integrando todos os modos de transporte, pode aliviar esta pressão. Avanços nas tecnologias dos sensores e da comunicação juntamente com modelos de negócios inovadores, criam a oportunidade para uma mudança de paradigma nos transportes. Não precisamos de ter um carro, bicicleta ou mesmo um passe de viajante frequente. Podemos comprar a mobilidade como um serviço flexível ajustado às nossas preferências, ao tempo e à nossa agenda.

Pode consultar o relatório aqui

 

Maria João Ramos

Consultora

Por