Projeto Solar Impulse faz história e desafia limites (Beatriz Pinto)

Mais de 8.000 km, cerca de 120 horas de viagem, equivalente a cinco dias e cinco noites consecutivas de voo entre  Nagoya (Japão) e o Hawai (EUA). Este é o culminar do mais recente desafio do projeto Solar Impulse protagonizado por Andre Borschberg, um dos pilotos do avião experimental movido exclusivamente a energia solar.

A travessia do oceano Pacífico que acaba de concretizar é considerada a etapa mais difícil da histórica volta ao mundo que o Solar Impulse pretende atingir. Trata-se do voo mais longo e a maior distância alguma vez cumprida por um avião alimentado exclusivamente a energia solar, superando a soma das etapas anteriores. A chegada ao aeroporto de Kalaeloa, no Hawai às 05:55 horas locais (16:55 em Lisboa) marcou assim o final da oitava de um total de treze etapas, um total de voo de 25 dias.

O avião experimental fez uma primeira tentativa no final de maio, mas acabou por aterrar no Japão poucas horas depois de ter partido de Nanjing, na China. Uma nova partida foi adiada por algumas vezes devido às condições meteorológicas menos favoráveis, acabando esta por ocorrer na madrugada do passado dia 28 de Junho rumo ao Hawai.

A aventura e a localização da avioneta pôde ser seguida através das redes sociais. Muitos foram os twitters, mensagens de apoio e partilha de sucessivas provas superadas e frustrações pelo piloto, pela equipa em terra e pelos seus muitos seguidores.

Para visualizar o trajeto, vídeos e estatísticas desta última etapa, basta clicar aqui

Desde que levantou voo em março de Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, o Solar Impulse conta já com cerca de 18.785 km de voo. Próximo destino: Phoenix (EUA). Isto sem recurso a uma única gota de combustível fóssil.

“FUTURE IS CLEAN”, indeed!

https://twitter.com/solarimpulse?lang=en

http://www.solarimpulse.com/leg-8-from-Nagoya-to-Hawaii

 

Beatriz Pinto – Consultora Sénior (GET2C)