Preparemo-nos, pois… para a neutralidade carbónica

Preparemo-nos, pois… para a neutralidade carbónica

Como todas as revoluções, e apesar das boas intenções de tudo o que hoje se chama “a transição justa”, é também cada vez mais claro que existem interesses na sociedade que a longo prazo irão perder posição, estatuto e acima de tudo rendimento numa economia virada para a neutralidade carbónica. Afinal, existe mesmo um limite para as soluções “win-win”.

1,5ºC – um mundo de diferença

1,5ºC – um mundo de diferença

Mas evitar, de modo permanente, o limiar dos 1,5ºC implica uma transformação radical do sistema energético nas próximas duas décadas, com vista a reduzir as emissões globais de gases com efeito de estufa em 45% até 2030 (ou seja, em apenas 12 anos) e chegar à neutralidade carbónica